MENSAGEM DE SANTOS DUMONT

Canalizada por Nisete Machado

Comecei a sentir a expansão e calor no chacra cardíaco ao mesmo acompanhado por uma sensação agradável de confiança e extrema paz, com certeza algum amigo de outro plano estava próximo para se comunicar, mas não identifiquei prontamente, pois nem de longo poderia minha mente racional poderia suspeitar de quem se tratava, até que a conexão entre nossas mentes superiores se estabeleceram, então pude ouvir sua identificação: “Sou Dumont, conhecido por vocês como o aviador, quero dizer a irmã que estou com vocês na frequência do 5º Raio Verde da Cura da Espiritualidade e toda a Ciência”.

Em um primeiro momento não entendi muito bem o rumo que aquela conversa levaria, pois sinceramente ainda não estava conseguindo ligar sua atuação ao Raio da Cura . Então, esse querido irmão, cujo desenvolvi um carinho sem medidas pela energia amigável, de extrema delicadeza, fino trato, amorosidade e compreensão, respeitando minhas limitações humanas de quem ainda tem muito a aprender, pois mesmo com todo o envolvimento magnético que nos envolvia, eu ainda deixava o lado meramente racional intervir e não estava querendo acreditar que seria mesmo ele, pois racionalmente não conseguia liga-lo ao Raio Verde da Cura, então delicadamente respondeu aos meus questionamentos internos:

“Se a querida irmã assim o permitir, gostaria de falar aos nossos irmãos da Terra, sobre o que já foi considerado por vocês o mal do século. Quero falar sobre a depressão, fruto da frustração do ego, que domina o psiquismo, abre todas as portas do nosso sistema imunológico e enfraquece a atuação da nossa Essência Divina, o que apressou meu voo para o outro lado da vida”.

Aí me rendi, e baixei todas as reservas, pois comecei a entendê-lo, sua intensão era usar a sua sua própria história para nos trazer um pouquinho do conhecimento de como se desencadeia a depressão.

Dumont, falou da relação com as frustrações do ego, que acabaram a leva-lo a uma depressão profunda, nos trazendo um alerta sobre esse problema que atinge muitas pessoas no momento atual e nem sempre de forma tão explícita, pois em muitas vezes se desenvolve velada pelas máscaras que nós mesmos criamos tentando escondê-la até de nós mesmos, sendo detectada na maioria dos casos, quando já está em um estágio muito avançado, outras nem assim, sendo sujeito a sabe-lo somente após um ato extremo da pessoa que está acometeda, as vezes até mesmo sem volta.
Mensagem de Dumont:
Queridos irmãos na Luz em Cristo, humildemente venho dizer a vocês que é uma honra poder estar me dirigindo a cada um, agradeço a Espiritualidade Maior que me concede mais essa oportunidade de poder de alguma forma servir a este Novo Tempo que já se instalou em razão da crescente expansão de consciências de nossos irmão na Terra, possibilitando assim poder trazer àqueles que já estão abertos a me ouvir, um pouquinho de mim que possa de alguma forma ajudar aos irmãos que hoje passam por situações semelhantes a que passei.

No momento em que retornamos ao plano físico, dispostos a usarmos todas as nossas capacidades e conhecimentos para redimirmos o que entendemos como “erros do passado”, acabamos por nos esquecer da verdadeira proposta pela qual decidimos voltar e muitas vezes nos enredamos nas teias do nosso próprio ego, na necessidade exacerbada do reconhecimento, dos elogios, da notoriedade até nas coisas mais simples que fazemos, queremos ser reconhecidos e exaltados, sob pena de nos sentirmos atingidos pela ingratidão. Em alguns casos, incluindo a mim, sentimos a necessidade das homenagens, dos olhares para nós como se fossemos verdadeiros heróis, gênios pairando sobre os meros mortais, ledo engano.

Na verdade, boa parte do que somos capazes de manifestar nesta Terra, nada mais é do que antes uma oportunidade que recebemos do Mais Alto para nos redimirmos de atitudes consequentes das nossas ilusões do passado, remoto ou mesmo recente, de uma forma produtiva, através do trabalho, ou de uma ação que possa beneficiar a todos.

Mas quando estamos na fisicalidade o olhar da nossa personalidade para o nosso “próprio umbigo” é fatal, nos faz sentir que tudo deva girar em torno de nós mesmos, das nossas ações, das nossas criações e nos cega para os compromissos que viemos desenvolver, assumidos anteriormente com a nossa verdadeira essência, aí nos perdemos.

Surge em nossos sentimentos, a necessidade dos títulos, placas, bustos, homenagens, e o pior é que fingimos uma humildade que interiormente não temos, tentando ironicamente demonstrar que não nos importamos com tudo isso, mas na verdade querendo cada vez mais sermos exaltados, o que faz ferir ainda mais a nossa essência em razão de estarmos vibrando na mentira. Então mesmo diante de tudo que tanto valorizamos e dos reconhecimento e homenagens recebidas, um enorme vazio se instala, pois na maioria das vezes esses reconhecimentos e homenagens, não mais são do que um simples cumprimento de protocolo ou movido por um sentimento de obrigação daquele que nos oferece, não como um retorno sincero, mas pelo enredo de falsos sentimentos a qual todos se veem envolvidos, aí procuramos desenfreadamente preencher o vazio que vem da Essência Real de alguma forma, quase sempre através de mais enganosas ainda do que já estamos fazendo.

Pois na maioria das vezes buscamos esse preenchimento primeiro no mundo exterior, o que é mais um engano, então uma grande frustração se aloja em nosso corpo emocional, percebemos que não estamos conseguindo controlar nada, começa a nascer uma enorme vontade de fugir, de se esconder dos outros, das situações e de nós mesmos, gradativamente nada mais passa a nos dá prazer, o corpo físico que reflete o estado da alma, começa a definhar ao poucos, o raciocínio se torna turvo e qualquer coisa pode ser o estopim para não querermos mais viver, e o pior é que acreditamos piamente que estamos certos em nessas conclusões, afinal viver para que, se não estou conseguindo mais controlar tudo?!

E eu, mergulhado em meu ego dilacerado, pois além de todo o vazio que já carregava desde a infância, por me sentir diferente, ocupando um corpo franzino, que pela falta de entendimento que eu tinha sobre a importância do corpo que escolhemos para nascermos na Terra, hoje sei que nosso corpo é sempre é perfeito, estruturado exatamente para cumprir com todas as necessidades que precisamos para a evolução da nossa alma na respectiva encarnação que nos encontramos. Mas internamente eu me achava fisicamente sem expressão, não aceitava a minha aparência e apesar de fingir que não percebia a forma como as pessoas me reparavam  e me julgavam tentando veladamente especular sobre a minha intimidade, agora tinha que também enfrentar mais uma situação, estavam atribuindo a outros a o invento que elevava a minha pessoa ao estatura de um grande inventor e este invento eu acreditava que era meu, somente meu, sem esse título onde ficaria o meu orgulho, o status que conquistei, todo o tempo empregado, ?!

Estarem atribuindo a minha criação, a outras pessoas, naquele momento foi demais para mim, onde ficaria o título de “Pai da Aviação?”… Agora sei que tais criações eram auxiliadas por inspirações de amigos do plano espiritual que tentavam ajudar no progresso da humanidade também através de mim, ou de quaisquer outros que estivessem dispostos a receber tais inspirações, os inventores do plano astral queriam aproveitar os meus talentos para a manifestação física de uma “engenhoca” de extrema importância para os encarnados, para o avanço da humanidade, queriam manifestar na Terra o avião, algo já existente em outros planos da vida, portanto não era um invento totalmente meu.

E quando vi essa ” minha criação” sendo usada para aniquilar vidas, não aceitei, com o ego já dilacerado pelos sentimentos que já carregava, acabei juntando a isso todas as demais frustrações que alimentava e resolvi fugir de mim mesmo, fugir daquela situação, fugir do mundo, afinal meu ego me dizia que eu tinha motivos o suficiente que justificariam tal atitude, então totalmente cego de espírito e de razão, em um ato decidido apenas pelo sofrimento, que entendia justificá-lo, acelerei o momento da minha partida.

Somente no outro lada da vida é que pude perceber, quanto engano! Quanto ego… tanto, que mesmo já estando nesta outra condição, ainda não admitia que eu tinha sido o causador daquela partida antecipada, afinal eu era um célebre, conhecido e admirado por todos. No início, mesmo já no plano espiritual, era somente assim que me via, o célebre e por não querer ver e nem admitir os meus atos fui me fechando, me fechei tanto, que se não fosse as mãos caridosas dos amigos da Luz que me estenderam em momento crucial, teria morrido outra vez naquele plano, pois saibam que isso é possível às almas que escolhem se esconder ao invés de reconhecer e enfrentar suas dores para curá-las, isso quase aconteceu comigo.

O orgulho é um mal que atinge a personalidade. Quando vemos nosso ego frustrando por não conseguir controlar determinadas situações, em alguns casos a personalidade prefere se fechar, eu sei como é difícil admitir isso, como sei, mas temos que encarar mesmo que em um primeiro instante apresentamos o sentimento de negação ou vitimização.

O orgulho, também é a maior e mais disfarçada armadilha que nosso ego encontra para tentar dominar o mundo a nossa volta, também sei que não é fácil encarar essa realidade, afinal para isso, temos que jogar fora, velhos conceitos mais que arraigados, mas no momento atual em que vivemos, já não somos mais tão crianças, temos que enfrentar.

Outras vezes, o ego se manifesta apresentando uma timidez, apesar de querer todos os olhares para mim, exaltando meus inventos, internamente eu me sentia tímido. A timidez em muitos casos pode ser o reflexo da vontade de ter a atenção voltada para si, mas mascarada pela crença de que mesmo querendo muito, não mereça essa atenção ou que não estão nos dando à altura do que merecemos. que deveria ser mais. Nosso psiquismo circula por muitas vias, refletindo todas as experiências e inúmeras personalidades com todos os seus aspectos, vitórias e derrotas.

Estar deprimido ao ponto de cair em uma depressão profunda, para mim refletiu o sentimento íntimo de uma auto rejeição que eu carregava escondido. Além disso, mesmo me sentindo “o cara”, em alguns instantes da vida, como qualquer mortal era obrigado a respeitar regras que achava que pela minha posição não teria que ser submetido, tendo que aceitar certas normas, sejam as mais simples que temos que nos sujeitar no dia-a-dia, representava um impedimento, que internamente, pela alma em desequilíbrio, representava mais uma frustração a se somar.

Olhando de fora isso parece algo não tão significativo, mas para mim foi muito, dimensionar como cada um lida com suas próprias emoções não é tarefa fácil, jamais podemos julgar apenas nos dispor à servir.

Hoje ainda me trato, mas agora trabalhando, escolhi o trabalho para enfrentar e curar a mim mesmo, estou integrado as equipes que se empenham em despertar e orientar aqueles que se deixaram levar a estados de depressão profunda, comprometendo o seu psiquismo, hoje procuro trazer a luz às mentes através do esclarecimento a partir da minha própria experiência.

Dou graças ao benevolente espírito de Bezerra de Menezes que amorosamente me acolhe em sua equipe, para que eu possa realizar quando possível, boas inspirações a irmãos que sofrem de depressão e projetar aos irmão na Terra, uma nova ideia ou sugerir um novo estado de ânimo aos que sofrem, em um trabalho de parceria entre os dois planos da vida, inspirando também aos que possam fazer algo para ajudá-los. Assim me desenvolvo, agradecendo a oportunidade para que através do amor e do interesse em somente servir, eu possa elevar o meu espírito através da humildade dos grandes irmãos que me acolhem.

Gratidão queridos parceiros em Luz. Paz profunda! Dumont

Em 18/4/2015

Como sabemos que é muito grande o número de pessoas que hoje passam pela depressão,  podemos colaborar com o nosso amigo Dumont, compartilhando, levando o conhecimento que liberta junto com a sua energia de amor. Gratidão!

alquimiadaalma.com.br

8 respostas
  1. Denise
    Denise says:

    Gratidão a Dumont por partilhar com todos sua experiência e colaborar com quem sofre desse mal. Eu mesma já me vi diante dela mas, graças a Deus agora estou bem e busco através do estudo com os mestres o equilíbrio e a possibilidade de alguma forma ajudar outras pessoas e principalmente a mim mesma! gratidão amada Nisete ! Gratidão Cósmica!

    Responder
  2. Denise Crispino
    Denise Crispino says:

    Me envolvi nas palavras dele. Apesar de não ter tido depressão com todas as situações difíceis que venho passando a uns dez anos, eu sou humana e sei e entendo a dinâmica humana.
    Muitas vezes conversei com Jesus sobre isso. Como é difícil ser humano. Sei que não tive depressão nem crise de pânico, porque fui ajudado., falo com toda a humildade.. Eu senti muito amor por você, Dumond!! Gratidão por suas palavras de amor!

    Responder
  3. Edinha Silveira
    Edinha Silveira says:

    Foi muito forte e verdadeiro o que ele falou. A depressão no alto grau da doença, lhe deixa sem pensamentos e sem raciocínio.
    Muitas coisas que ele falou me identifiquei(não da depressa) dos problemas que nos afungentam e fazem com que ficamos incapazes de por a nossa fé em prática.
    Eu estou com uns problemas, ja cheguei a falar com a minha alma, que me ajudasse, a não colocar pensamentos negativos em minha mente. Eu não sei se é absurdo, minha linda, mas eu converso com a minha alma e oro por ela. E peço a Deus perdão por tudo de errado que ela fez em suas vidas passadas. Mas eu amei de coração, esse texto do Santos Dumont. Ele foi muito sincero, isso eu senti profundamente. Que ele se superar de todos os seus traumas ajundando a quem precisa. Até de mim, que eu aceito com todo carinho.
    Bjo nesse coração enorme. GRATIDÃO CÓSMICA.

    Responder
  4. Bárbara Vieira
    Bárbara Vieira says:

    Gratidão pela mensagem. Vejo isso acontecer muito de perto, pois meu esposo está passando por uma profunda depressão nesse momento. Espero um dia vê-lo restaurado. Me identifiquei com a situação. Adonai.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.