PRETOS-VELHOS / A Origem Estelar dessas Almas Benditas

Pretos-Velhos

Além de como os conhecemos como entidades curadoras dos Terreiros de Umbanda, os Pretos-Velhos são seres Cósmicos Universais que atuam a milhares de anos no Planeta Terra para expandir às consciências humanas o Amor Universal, que é o meio capaz de libertar as mentes dos grilhões que aprisionam as emoções e a alma humana da ilusão da separação, que enfraquece e nos  distancia da verdadeira essência e missão nesta terra.

Existem seres espirituais, seus iniciados, que atuam como seus representantes ou mesmo almas que viveram como escravos e conseguiram se libertar e hoje representam uma linhagem de seres de grande conhecimento e amor. Porém, muitas das almas que atualmente atuam na espiritualidade, as quais conhecemos como Pretos-Velhos são espíritos milenares que atuam ao Planeta Terra, antes mesmo da Lemúria e antiga Atlântida, os quais são na verdade, viajantes estelares de Sirius, a estrela mais brilhante da Constelação do Cão Maior, de onde provém os mais antigos conhecimentos iniciáticos e magísticos na Terra, a Ordem Aumbandhã, que sustentou energeticamente os grandes feitos nas construções do Egito antigo, não compreendido até hoje pelo homem, a capacidade espiritual e poder mental desses povos ancestrais.

Essas almas benditas provindas de Siruis, vieram ao Planeta Terra com a missão de contribuir de perto na elevação espiritual e na formação da identidade da alma cultural de um povo e expandir seus conhecimentos ao bem de uma identidade Una. Muitas delas atuando na Grande Fraternidade Branca, são Mestres Ascensionados como o Mestre Afra do 7º  Raio Violeta, que teve encarnações na terra como Zumbi dos Palmares e Nelson Mandela, como revelou a mim em momentos de conexão espiritual, são as múltiplas facetas de uma mesma alma bendita em nome da expansão de consciências na terra.

Tão grandiosa e abnegada é a missão deste povo estelar aqui entre nós, que não conhecem nenhum resquício de distinção, como muitos humanos ainda teimam sustentar, essas almas benditas  atuam muitas vezes, se apresentando como aquelas entidades que atendem com seus cachimbos expelindo suas fumaças transmutadoras e ervas curadoras, nos terreiros de Umbanda ou em qualquer lugar, simples ou sofisticados adornados de cristais ou pedras dos rios, um simples vaso de flor ou buquês enfeitados, independente do vínculo religioso, da aparência física, dos gostos pessoais, onde trabalha-se para  levar a cura, o amor e a libertação, os pretos velhos estarão.

Reportando a nossa história, pela sabedoria milenar e conhecimento do domínio da mente sobre a matéria e sobre a dor física, esses seres iluminados escolheram encarnar aqui na Terra de forma missionária. E, entre almas sofredoras e aprisionadas pelas próprias experiências criadas e também pelas lhes impostas, escolheram experimentar desde a rígida disciplina dos templos iniciáticos desde a Lemúria, Atlântida, Antigo Egito e outros povos da antiguidade para edificar a sua missão, até a experiência na carne, experimentando assim, a extrema dor física e emocional da força da chibata dos feitores de escravos, dos pelourinhos, dos membros decepados, das humilhações, da separação das tribos, à arrancada da prole dos seus braços para  ser vendida como mero objeto de mercado. Almas de extrema luz estava, infiltradas entre os humanos e suas duras provações em meio as pestes dos porões dos navios negreiros, sob as dores dos pesados castigos nas senzalas, ou no sentimento da alma subjugada e seus reinos destruídos.

Sim eles eram aqueles que diante a tudo isso, atuavam disfarçados de humanos escravizados, porém de alma livre, conhecedores internamente da grande missão que lhes movia. Mantinham-se firmes pregando entre os seus irmãos escravisados, a esperança de um novo tempo e a força para permanecer lutando pela vida. a fé em Deus e o perdão para aquele que lhe praticava tamanhas crueldades, a fim de que não se entregassem de vez aos intentos das organizações trevosas que um dia, de certa forma já os haviam influenciado a separação, o domínio e as guerras entre si e assim impedir que essas mesmas organizações trevosas os arrebatassem de vez,  através do enfraquecimento causado pela dor moral e física a que eram submetidos, ou pelo ódio despertado, rancor e anseio por vingança aos malfeitores.

Para os Pretos-Velhos, esses seres estelares de profundo conhecimento que mantinham-se infiltrados entre escravos, para eles, de tudo o que nos cerca, de todos os desafios, de todas as dores, de todas as experiências vividas, de tudo na natureza terrena, até o mais simples raminho de erva, do som das águas, do canto de um pássaro, se extraem amplos ensinamentos e expansão de almas.

Das raízes dos arbustos ou as raízes da nossa história, ao aroma e colorido das flores, tudo é elemento de uma transformação Divina na orientação daqueles que chamam de meus filhos, os filhos espirituais que orientavam e ainda orientam, procurando fazê-los ver que a semente do bem e a verdadeira liberdade jamais poderá ser exterminada do interior de qualquer alma humana daqueles que chamam de meus filhos.

As riquezas das almas e das experiências desse povo estelar nos mundos de onde vieram, os aproximou das dores humanas, afim de colaborarem também com a libertação do  ego inferior, diante de tudo e de todos que consideramos diferentes e separados de nós e que fomos movidos culturalmente e muitas vezes, até inconscientemente a discriminar.

Bem como, vieram colaborar para o despertar do olhar humano para a ilusão do sentimento de fraqueza que muitas vezes nos invade, da dor de qualquer prisão, mesmo as emocionais, diante da plenitude da alma que em essência jamais deixa de ser livre, e assim nos tornarmos mais fortes perante os desafios,  mesmo  aqueles que classificamos como muito pesados e em muitas vezes não entendemos as razões, mas por algum motivo escolhemos experimentar, visto que tudo está dentro de um grande plano cósmico para a expansão da nossa alma na terra, que está muito além do que a personalidade humana é capaz de conceber, um plano cósmico onde vítimas e algozes fazem parte de um grande quebra-cabeças atuando como peças fundamentais, invertendo seus papeis nas idas e vindas entre os planos da vida, nas diversas eras do desenvolvimento do papel da consciência humana na terra.

E utilizando-se dos recursos mais, aparentemente simples, da fala serena, profunda e amorosa, das palavras certas para trazer à luz as respostas necessárias, do magnetismos transformador que carregam, tentam trazer a clareza à nossa consciência de que a aquilo que mais procuramos, que é sentirmo-nos livres e exercer essa liberdade, em verdade, está no mais simples e acessível, está dentro da essência da própria natureza de cada um de nós, natureza essa que jamais foi ou será escravizada, por qualquer ser ou situação de fora de nós.

As suas mirongas, os segredos, as rezas,os benzimentos e cânticos sagrados, o atabaque, através do magia do som que se propaga que irrompe dimensões e abrem portais de Luz, eram as ferramentas utilizadas como forma de abrir o portal de luz interior existente em cada ser escravizado, apesar da dor , e assim chegarem e irromperem o íntimo dos seus tutelados, onde a liberdade da alma ainda não estivesse maculada pela realidade exterior que viviam. De forma simples, mas de extrema eficácia, demonstrando profundo conhecimento em como ajudar a preencher as necessidades do espírito na terra para dominar das questões humanas, há milênios os pretos-velhos atuam entre nós.

Hoje, mesmo com as limitações expostas pelos encarnados, a incredulidade de muitos e preconceito de outros tantos, até que toda a humanidade esteja completamente desperta e verdadeiramente livres dos grilhões impostos pelos seus próprios egos, eles continuarão entre nós e sem jamais desistir de nenhum de nós, para a sua estrela de origem só retornaram quando o último humano na terra estiver livre.

E chegam devagar, de forma velada, as vezes até disfarçados nas aparências daquelas entidades que idolatramos, assim atuam nos diversos centros de atendimentos espirituais, ou em qualquer lugar onde a intenção é movida pelo amor ao próximo, como também inspirando trabalhadores das ciências holísticos, ou em qualquer seguimento, independente do vínculo religioso que tenha como objetivo a cura e libertação da alma humana, ou em grandes naves interdimensionais. Eu mesmo pude ver mediunicamente nos atendimentos que realizo com a Apometria Arcturiana Avançada, a atuação desses seres, nesta ocasião, em desdobramento dentro de uma Nave Arcturiana, enquanto um ser Arcturiano, nos seus avançados computadores estelares, escaneava o campo energético da pessoa que estava sendo atendida, apontando exatamente os pontos nos corpos energéticos e situações na linha do tempo que necessitavam de cura, um ser na roupagem fluídica de preto-velho Pai João, atuava junto com os Arcturianos e na medida em que a situação a ser curada era apresentada, sendo um profundo conhecedor das alquimias divinas das ervas, ele prescrevia as formulas e aplicava as mirongas específicas para tratar as situações que eram apresentadas feitas com essências de ervas astrais. Coisa mais linda de se ver.

Assim, as coisas acontecem entre os seres de luz, cada um com suas especialidades agindo em união de intenções, conhecimentos e amor, por um único propósito de cura e libertação de todas almas.

A roupagem fluídica de Preto-Velho, ilustra a sua ancestralidade e seu conhecimento que se perde desde a sua chegada de Sirius à terra, até a nossa na antiguidade mesmo antes da Lemúria, Atlântida, Egito Antigo e outros povos, e principalmente revela o seu amor em servir incondicionalmente a nós, eis que ainda necessitamos de referências simples e humildes para despertar em nosso ser a pureza das crianças que por si só não julgam, não discriminam, não separam até que os adultos as ensinem o contrário. Os pretos velhos, almas benditas, missionários da Estrela Maior de Sirius, desceram das belezas de seus reinos para nos ajudar a despertar a beleza que pode ser construída mesmo a partir da simplicidade e principalmente da verdadeira humildade que a humanidade ainda necessita desenvolver, que é aprender a olhar para cada irmão, apenas como um irmão sem distinção, isso é o que é o que realmente faz uma alma humana se tornar uma grande alma na terra.

Assim como fez o nosso Senhor Jesus Cristos, “né mi zi fio?!”

Respire profundamente e receba essa energia. Sinta o cheiro da arruda, alecrim e guiné. Salve nossos amados Pretos-Velhos. Adorei as almas!

 

 

Vem para essa Família Cósmica que conecta você a sua Missão de Alma no Planeta Terra

⬇️

CLIQUE AQUI

4 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.